Freguesia de Redondo

História

Freguesia de Redondo

A freguesia de Redondo é particularmente rica em vestígios de ocupações passadas, que podemos remontar a vários milhares de anos atrás.

Destas, as construções megalíticas, mais conhecidas por Antas, constituem, Hoje como Ontem, uma das mais expressivas marcas humanas na paisagem local e regional.

Foram identificados cerca de 50 monumentos deste tipo em toda a freguesia, a maioria dos quais conhecidos das populações locais, que os povoa de mitos e lendas, integrando-os na paisagem humana actual.

Na realidade, as antas são construções humanas, dos IV e IIIº milénio antes de Cristo, destinadas a sepultar os mortos; eram normalmente constituídas por uma edificação em pedra, com um corredor e uma câmara sepulcral, que hoje se conserva de modo diverso, que eram cobertos com uma grande camada de terra e pedra, formando uma pequena elevação, raramente conservada hoje em dia. Desde o século XVI que são conhecidos relatos destes monumentos no Redondo, destacando-se de entre todos a Anta da Candeeira, que viria a ser visitada no final século XIX pelo ilustre arqueólogo francês Émile Cartailhac, após ter sido dada a conhecer por Gabriel Pereira, que também noticiou a existência da Antas da Vidigueira e do Colmeeiro.

Em 1910, estes três Monumentos foram classificados como Monumento Nacional.

Na década de 40 do século XX, a visita do casal alemão Georg e Vera Leisner conduziu a um maior conhecimento do megalitismo local com a identificação de mais de uma dezena de monumentos.

Na freguesia de Redondo, a área envolvente à aldeia do Freixo é a que apresenta um maior número de monumentos conhecidos, tendo sido identificado um número menor entre a vila do Redondo e a Aldeia da Serra.



Freguesia de Redondo

No inicio do séc. XV a vila de Redondo estava praticamente despovoada, quando fora antes um ponto obrigatório de escala para os viajantes de Évora, Vila Viçosa e Alandroal. A pedido dos procuradores da vila D. João I, em 1418, proibiu o uso de outras estradas naquele circuito, obrigando todos os viajantes a passarem por Redondo. O concelho de Redondo, actualmente, está dividido em duas freguesias – Redondo e Montoito – e abrange uma área de 371, 44 Km2.
A freguesia de Redondo é constituída pelas seguintes povoações: Redondo, Foros da Fonte Seca, Vinhas, Freixo, Santa Susana e Aldeia da Serra. A população do concelho é de 7282 habitantes, segundo os censos de 2001A vinha é desde o inicio do séc. XX um dos factores de maior importância para os agricultores do concelho. Os inúmeros prémios obtidos em certames internacionais confirmam a qualidade dos vinhos da região tornando-os um dos seus produtos mais famosos. A Olaria, toque precioso de arte popular, é reconhecida e apreciada em todo o país, concedendo o título de vila das Olarias Populares.

No inicio do séc. XV a vila de Redondo estava praticamente despovoada, quando fora antes um ponto obrigatório de escala para os viajantes de Évora, Vila Viçosa e Alandroal. A pedido dos procuradores da vila D. João I, em 1418, proibiu o uso de outras estradas naquele circuito, obrigando todos os viajantes a passarem por Redondo. O concelho de Redondo, actualmente, está dividido em duas freguesias – Redondo e Montoito – e abrange uma área de 371, 44 Km2.

A freguesia de Redondo é constituída pelas seguintes povoações: Redondo, Foros da Fonte Seca, Vinhas, Freixo, Santa Susana e Aldeia da Serra. A população do concelho é de 7282 habitantes, segundo os censos de 2001A vinha é desde o inicio do séc. XX um dos factores de maior importância para os agricultores do concelho. Os inúmeros prémios obtidos em certames internacionais confirmam a qualidade dos vinhos da região tornando-os um dos seus produtos mais famosos. A Olaria, toque precioso de arte popular, é reconhecida e apreciada em todo o país, concedendo o título de vila das Olarias Populares.

© 2020 Freguesia de Redondo. Todos os direitos reservados | Termos e Condições

  • FTKODE